Achilles Nasser Fraxe

Achilles Nasser Fraxe (1930 - ), nasceu em Boa Vista, Território de Roraima, em 1930. Estatístico provisionado, ingressou no IBGE em 1953 como contabilista da Inspetoria Regional de Estatística Municipal do seu território de origem, cargo que ocupou até 1970 quando, então, foi nomeado como delegado das antigas Delegacias do Amazonas e de Roraima (1970-1990). Sua gestão é marcada pela interiorização da rede de coleta e pela realização dos censos demográficos de 1960, 1970 e 1980 na Amazônia. Aposentou-se, em 1991, quando atuava na área administrativa da Divisão de Pesquisas do Ceará (DIPEQ/CE).

 

Se não conseguir visualizar o clipe da entrevista na janela abaixo, clique aqui.
 

Ficha técnica

Nome: Achilles Nasser Fraxe

Área de Atividade: rede de coleta

Depoimento realizado no contexto do Projeto de História Oral. Integra o Sistema de Preservação e Disseminação da Memória Institucional e tem por objetivo reconstituir o processo de formação e evolução do IBGE.

Data: 26/04/2001

Local da gravação: IBGE/DIPEQ - Fortaleza (CE)

Duração: 59 minutos

Dados biográficos

Nome completo: Achilles Nasser Fraxe

Nascimento: Boa Vista (Território de Roraima) - 1930

Data de entrada no IBGE: 1953

Data de saída ou aposentadoria: 1991

Formação ou cargo: estatístico

Principais atividades: agente de coleta; delegado em Roraima e no Amazonas (1970/1990)

 

Assuntos

  • rede coleta;
  • censos;
  • logística dos censos;
  • Censo demográfico 1960;
  • meio ambiente;
  • Censo demográfico 1970;
  • acidentes de trabalho;
  • condições de trabalho;
  • prestação de contas;
  • inquérito administrativo;
  • Censo demográfico 1980;
  • Censos econômicos 1985;
  • métodos de pesquisa;
  • pesquisas industriais;
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD);
  • Estudo Nacional da Despesa Familiar (ENDEF);
  • Pesquisa de Orçamento Familiar (POF); geodésia;
  • contratação de pessoal temporário.

 

Sumário

  • migração familiar da Síria para o Território de Boa Vista em 1929, em função da mineração do ouro;
  • início da vida profissional com o pai em 1943, no comércio de compra e venda de ouro;
  • em 1952 faz concurso para a Superintendência Nacional de Abastecimento (SUNAB) e trabalha como calculista de faturas;
  • ingressa no IBGE como contabilista da Inspetoria Regional de Estatística Municipal do Território de Boa Vista (1953/1970);
  • o Censo demográfico 1960;
  • as condições ambientais de Roraima;
  • acidentes de trabalho com profissionais contratados para os censos (1960/1970);
  • o Censo demográfico 1970;
  • nomeação para Delegado do Amazonas;
  • organização logística dos censos na Região Norte;
  • a deterioração das informações durante o processo de transmissão entre os agentes multiplicadores e os recenseadores;
  • o risco no adiantamento de verbas ao recenseador contratado;
  • Censo demográfico 1980 e os problemas no processo de coleta;
  • Censos Econômicos 1985;
  • coordenação da rede de coleta no Estado do Amazonas;
  • a reestruturação da rede de coleta e a transformação da Delegacia do Amazonas em Divisão de Pesquisas (DIPEQ) e a do Pará em Delegacia Regional (DERE);
  • transferência para a DIPEQ-Ceará e o trabalho na área administrativa, quando aposenta-se pelo Regime Jurídico Único (1991);
  • problemas e riscos inerentes ao trabalho de coleta na Amazônia;
  • condições de trabalho dos funcionários do IBGE e dos contratados pelos censos;
  • as modificações metodológicas nas pesquisas do IBGE;
  • a atuação de agências de pesquisas (Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias - EMBRAPA) ou departamentos de pesquisas das universidades na assistência técnica agropecuária para a população ribeirinha;
  • a pesquisa industrial na Zona Franca de Manaus (1970 e 1985);
  • a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), o Estudo Nacional da Despesa Familiar (ENDEF), a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) e as dificuldades para a coleta de dados na zona rural;
  • a Região Norte e as dificuldades relativas às grandes distâncias envolvidas;
  • o relacionamento entre a rede de coleta e a área de geodésia no Amazonas; o nivelamento geodésico e os problemas técnicos decorrentes na área do lago da Represa de Balbina, nos Municípios de Rio Preto da Eva e Presidente Figueiredo;
  • as interferências no processo de contratação de recenseadores.