Manoel Antônio Soares da Cunha

Manoel Antônio Soares da Cunha (1928-2019), nasceu no Rio de Janeiro (RJ) no dia 11 de janeiro de 1928. Estatístico, ingressou no IBGE em 1950, desenvolvendo diferentes atividades na área de levantamentos agropecuários. Chefiou o Departamento de Agropecuária, a Superintendência de Estatísticas Agropecuárias e coordenou o Censo agropecuário 1985. Aposentou-se em 1992. Em fevereiro desse mesmo ano, na gestão Eduardo Augusto Guimarães, o Centro de Documentação e Disseminação de Informações – CDDI prestou homenagem a Manoel Antônio Soares da Cunha dando-lhe o nome da sala então ocupada pela Memória Institucional. Sempre presente no IBGE, continuou prestando assessoria a diversos projetos que reconstituem a história da Instituição. Também manteve atuação na defesa dos interesses dos servidores aposentados, sendo um dos fundadores do Departamento de Aposentados e pensionistas (DAP) do IBGE. Faleceu no dia 10 de janeiro de 2019, no Rio de Janeiro.

Se não conseguir visualizar o clipe da entrevista na janela abaixo, clique aqui.

Ficha técnica

Nome: Manoel Antônio Soares da Cunha

Área de Atividade: Censo agropecuário; Censo demográfico

Depoimento realizado no contexto do Projeto de História Oral. Integra o Sistema de Preservação e Disseminação da Memória Institucional e tem por objetivo reconstituir o processo de formação e evolução do IBGE.

Data: 06/03/2002 e 08/03/2002

Local da gravação: IBGE/CDDI - Rio de Janeiro (RJ)

Duração: 237 min

Dados biográficos

Nome completo: Manoel Antônio Soares da Cunha

Nascimento: Rio de Janeiro (RJ) - 11/01/1928

Falecimento: Rio de Janeiro – 10/01/2019

Data de entrada no IBGE: 29/06/1950

Data de saída ou aposentadoria: 31/03/92

Formação ou cargo: Estatístico provisionado

Principais atividades: Chefe do Departamento de Agropecuária, Superintendente das Estatísticas Agropecuárias, Coordenador do Censo Agropecuário de 1985

Assuntos

  • rede de coleta;
  • logística dos censos;
  • Censo demográfico 1950;
  • Censo demográfico 1960;
  • Censo demográfico 1970;
  • Censo demográfico 1980;
  • Censo demográfico 1991;
  • Censo agropecuário 1950;
  • Censo agropecuário 1960;
  • Censo agropecuário 1970;
  • Censo agropecuário 1975;
  • Censo agropecuário 1980;
  • Censo agropecuário 1985;
  • Censo agropecuário 1996;

Sumário

  • O desenvolvimento técnico e administrativo das atividades da rede de coleta e o planejamento de pesquisas estatísticas;
  • a história de vida familiar: infância e adolescência, iniciação no trabalho auxiliando o pai na carvoaria, atividade que ocupou grande parte de sua juventude, além de outros trabalhos na indústria gráfica e no comércio;
  • o processo de ingresso no IBGE no contexto da campanha censitária de 1950;
  • o trabalho na coleta do censo demográfico na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro;
  • a coleta do censo agropecuário; o processo de aproveitamento na equipe de apuração do censo agropecuário;
  • o processo de aprendizado das atividades técnicas e seus principais orientadores;
  • a evolução de sua carreira, principalmente no contexto do planejamento da campanha censitária de 1960;
  • as explicações técnicas sobre os planejamentos logísticos e as diferentes abordagens em torno dos quesitos dos censos demográfico e agropecuário;
  • a avaliação das equipes que operaram nos diferentes censos ao longo de seu período profissional e as diferentes conjunturas político-administrativas que nortearam o IBGE entre 1936 e a década de 90, enfatizando as conjunturas que envolviam o núcleo decisório do governo federal no campo da estatística e suas repercussões no desenvolvimento do IBGE;
  • as atuações dos principais presidentes do órgão, enfatizando o legado de cada um, principalmente no que se refere às ações e políticas de estatística;
  • as principais ações logísticas referentes aos censos agropecuários;
  • a avaliação das etapas de desenvolvimento tecnológico por que passou o IBGE, vinculando-as aos presidentes da época.