Núcleo virtual da Rede de Memória do IBGE. Divulga publicações, vídeos, instrumentos de pesquisa, sínteses históricas, depoimentos e demais produtos de memória empresarial construídos pelos servidores do IBGE

 

 

Cláudio Monteiro Considera (1946-    ), natural de Niterói, estado do Rio de Janeiro. Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Mestre em Economia pela Universidade de Brasília (UnB) e Doutor em Economia da Universidade de Oxford, na área de Formação de Preços Industriais. Funcionário público de carreira do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 1971-1998, ocupou entre outros cargos, o de Diretor de Pesquisa. Cedido pela UFF, onde é professor desde 1982, foi Secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, 1999-2002, quando representou o Brasil nos fóruns de Competition Law, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e, nas negociações da Lei de Concorrência no âmbito da Área Livre de Comércio das Américas (ALCA). Ainda cedido pela UFF, chefiou o Departamento de Contas Nacionais, afastando-se do cargo, e do IBGE, em 1992. Na data da entrevista lecionava na UFF.

 

Veja o clipe com trechos selecionados da entrevista:

 

Se não conseguir visualizar o clipe da entrevista na janela abaixo, clique aqui.

 

Ver ficha técnica

Nome: Cláudio Monteiro Considera

Área de Atividade: Contas Nacionais

Depoimento realizado no contexto do Projeto de História Oral. Integra o Sistema de Preservação e Disseminação da Memória Institucional e tem por objetivo reconstituir o processo de formação e evolução do IBGE.

Data: 30/11/2006

Local da gravação: Auditório do CDDI

Duração: 72 min

Dados biográficos do depoente

Nome completo: Cláudio Monteiro Considera

Nascimento: Niterói (RJ) - 16/04/1946

Data de entrada no IBGE: 1986

Data de saída ou aposentadoria: Saída em 1992

Formação ou cargo: Ciências Econômicas

Principais atividades: Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF); Chefe do Departamento de Contas Nacionais - DECNA

Equipe

Levantamento de dados: Francisco José Queiroz Freire, Helena Torelly, Vera Abrantes

Elaboração do roteiro: Francisco José Queiroz Freire, Helena Torelly, Vera Abrantes

Entrevistadores: Francisco José Queiroz Freire, Helena Torelly, Vera Abrantes

Gravação: Gabriel de Souza Fernandes

Digitalização: Carolyna Ferreira Barroca (estagiária)

Sumário: Vera Abrantes

Copidesque do sumário: Vera Abrantes

Indexação: Vera Abrantes

Assuntos:

  • reforma administrativa;
  • contas nacionais;
  • Sistema de Contas Nacionais;
  • mudanças de metodologia;
  • Produto Interno Bruto (PIB);
  • Estatísticas do Cadastro Central de Empresas;
  • Conferência Nacional de Estatística (CONFEST);
  • disseminação de informações;
  • autonomia técnica;
  • greve;
  • Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE);
  • Sistema Estatístico Nacional (SEN)

Sumário do depoimento:

  • criação de um novo Departamento de Contas Nacionais, juntando o Departamento de Contas Nacionais (DECNA), o Departamento de Administração Pública (DEASP) e a equipe responsável pelas contas nacionais na Fundação Getúlio Vargas (FGV);
  • convênio com o Institut National de la Statistique et des Études Économiques (INSEE), iniciado em 1985;
  • adequação das estatísticas ao novo Sistema de Contas Nacionais;
  • a impossibilidade em se conseguir com que o Banco Central construísse as contas financeiras do país;
  • alteração da estrutura do departamento;
  • construção do Produto Interno Bruto (PIB) trimestral;
  • reformulação da base estatística e a realização da Conferência Nacional de Estatística (CONFEST);
  • divulgação do PIB trimestral e, das contas nacionais, segundo o modelo da FGV;
  • produção e divulgação das estatísticas do IBGE;
  • greves e os prejuízos para as estatísticas;
  • movimento da equipe de contas nacionais para a sua demissão, as mudanças no departamento e a saída das pessoas insatisfeitas;
  • participação do Brasil no grupo pioneiro das contas nacionais;
  • a experiência francesa de contas nacionais e a transmissão para o IBGE, permitindo mudar formas de se produzir estatísticas;
  • Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE);
  • divergências pessoais por não ser um ibgeano;
  • produção de uma metodologia sobre contas regionais com consultoria internacional do argentino Guilherme Marreiro, a troca de autoria com a sua saída do IBGE e o não reconhecimento da equipe produtora;
  • o novo Sistema de Contas Nacionais;
  • Centro de Documentação e Disseminação de Informações (CDDI) e a divulgação das estatísticas;
  • Edmar Bacha e as desavenças no seio da equipe econômica do Governo;
  • a noção de um sistema estatístico nacional integrado;
  • experiência como chefe de departamento.

© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística