Núcleo virtual da Rede de Memória do IBGE. Divulga publicações, vídeos, instrumentos de pesquisa, sínteses históricas, depoimentos e demais produtos de memória empresarial construídos pelos servidores do IBGE


 

Fatmato Ezzahrá Schabib Hany (1959- ), natural de Cochabamba, Bolívia, chegou ao Brasil em 1964, tendo passado pelo Líbano. Viveu em Corumbá até a divisão do Estado de Mato Grosso, quando foi para Campo Grande, capital do recém criado Mato Grosso do Sul. Formada em Ciências Econômicas pela Universidade Católica de Campo Grande e, também em Administração Rural pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, tem pós-graduação em Análise de Sistemas e título de Mestre em Pesquisa Social, pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE). Em 1978, como agente de coleta, participou da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) em Corumbá, ingressando no IBGE em 1980 como secretária do chefe da Unidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Foi coordenadora do Setor de Estatísticas Agropecuárias até ser convidada para o Departamento de Agropecuária (DEAGRO), no Rio de Janeiro. Durante dois anos chefiou a Divisão de Pesquisas Contínuas desse Departamento, retornando em 1991 a Mato Grosso do Sul para assumir a chefia da Unidade Estadual, onde permaneceu até 2002, saindo para cursar o mestrado. Na data da entrevista encontrava-se lotada na Diretoria de Pesquisas, no Rio de Janeiro.

Ver ficha técnica

Nome: Fatmato Ezzahrá Schabib Hany

Área de Atividade: Estatísticas agropecuárias; rede de coleta; pesquisas domiciliares

Depoimento produzido pela Supervisão de Documentação e Disseminação de Informações (SDI) da UE/MS no contexto do Projeto História das Unidades Estaduais do IBGE. Integra o Sistema de Preservação e Disseminação da Memória Institucional e tem por objetivo reconstituir o processo de formação e evolução do IBGE.

Data: 06/09/2011

Local da gravação: SDI/UE/MS

Duração: 49 min

Dados biográficos do depoente

Nome completo: Fatmato Ezzahrá Schabib Hany

Nascimento: Cochabamba (Bolívia) - 23/12/1957

Data de entrada no IBGE: 1980

Data de saída ou aposentadoria: Em atividade na data da entrevista

Formação ou cargo: Economia (Universidade Católica de Campo Grande); Administração Rural (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul); pós-graduação em Análise de Sistemas, Mestrado em Pesquisa Social (ENCE)

Principais atividades: Secretária; Assistente do Delegado de Mato Grosso do Sul, Coordenadora do Setor de Estatísticas Agropecuárias; Chefe da Divisão de Pesquisas Contínuas do Departamento de Agropecuária (DEAGRO); Chefe da Unidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Equipe

Levantamento de dados: Isabel de Paula Costa (SDI/UE/MS)

Elaboração do roteiro: Isabel de Paula Costa (SDI/UE/MS)

Entrevistadores: Isabel de Paula Costa (SDI/UE/MS)

Gravação: Isabel de Paula Costa; Edson Vieira Júnior(SDI/UE/MS)

Sumário: Bárbara de Almeida Guimarães (estagiária CDDI/ Memória Institucional)

Copidesque do sumário: Vera Abrantes (CDDI/ Memória Institucional)

Indexação: Pedro Monteiro (estagiário); Vera Abrantes (revisão) (CDDI/ Memória Institucional)

Assuntos:

  • censos agropecuários;
  • rede de coleta;
  • estatísticas agropecuárias;
  • Censo demográfico 1991;
  • Censo demográfico 2000;
  • inovações tecnológicas;
  • Assistente Pessoal Digital (PDA);
  • logística dos censos;
  • coleta de dados;
  • credibilidade do IBGE;
  • Censo do MERCOSUL;
  • disseminação de informações;
  • capacitação profissional

Sumário do depoimento:

  • trajetória de vida;
  • formação acadêmica;
  • ingresso no IBGE, em 1980, como secretária do Delegado de Mato Grosso do Sul;
  • o Setor de Estatísticas Agropecuárias da UE/MS e a transferência para o Departamento de Agropecuária (DEAGRO) para chefiar a Divisão de Pesquisas Contínuas;
  • indicação para a chefia da Unidade Estadual de Mato Grosso do Sul e a incumbência de fazer o Censo demográfico 1991;
  • coesão da equipe da UE/MS na sua gestão;
  • Censo demográfico 2000 e o uso dos computadores de mão (assistentes pessoais digitais - PDAs);
  • apoio logístico para as dificuldades de locomoção;
  • divulgação das pesquisas e a credibilidade do IBGE;
  • desafios da sua gestão;
  • rede de coleta;
  • Agência de Aquidauana e a Unidade de Mato Grosso do Sul como referência para projetos pilotos;
  • Censo do Mercosul;
  • disseminação de informações, a qualificação do pessoal e a relação com a sociedade.

  • © 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística